Área Restrita
19 FESTIVAL ESTADUAL DA JUVENTUDE
GRITO DA TERRA ESTADUAL 2017
ENCONTRO ESTADUAL DA 3 IDADE
Não à reforma da previdência
Imagem2
Imagem 1
Imagem3
Imagem 4
FETAGRO e STTRs entregam pauta do Grito da Terra para o governo estadual e órgãos federais
15/08/2017

FETAGRO e STTRs entregam pauta do Grito da Terra para o governo estadual e órgãos federais

Na manhã desta segunda-feira (14) foi realizada pela diretoria da FETAGRO e dirigentes dos STTRs ato de apresentação e entrega da pauta de reivindicações e proposições do Grito da Terra Estadual 2017 (GTE 2017) para o Governador do Estado, Confúcio Moura, e órgãos federais como Incra, SEAD, Terra Legal, Conab, Eletrobras e INSS, e as agências financeiras Banco da Amazônia, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. A entrega da pauta dá início as ações que constituem o GTE, permitindo ao governo estadual e órgãos federais analisarem as principais demandas dos trabalhadores e trabalhadoras rurais na agricultura familiar com antecedência e apresentarem respostas nas negociações, que acontecerão simultaneamente à mobilização de mais de 2,5 agricultores e agricultoras, nos dias 5 e 6 de setembro, na capital Porto velho. Governador e todos os titulares dos órgãos ressaltaram a organização e importância da mobilização e se comprometeram em estudar a pauta. Confúcio Moura assegurou em colocar os órgãos do governo e todo o secretariado comprometidos em considerar as demandas dos agricultores e dar respostas concretas no período de negociações. Com a mesma receptividade, se comprometeram os representantes federais e agentes financeiros. O presidente da FETAGRO, Fábio Menezes, em nome dos agricultores e agricultoras familiares do Estado, pediu forte compromisso dos setores ao analisarem as reivindicações e proposições, pontuando que a pauta, fundamentalmente, propõe o desenvolvimento rural sustentável e solidário e a melhoria na condição de vida e trabalho no campo com o fortalecimento da agricultura familiar. Fábio também pontuou que esta edição do GTE tem forte característica de protesto à instabilidade política e econômica do País, fortemente refletida no campo; mas principalmente contra o governo aplicado por Michel Temer com desmonte de políticas públicas e retirada de direitos já conquistados pela classe trabalhadora, como exemplo maior a proposta de reforma da Previdência Social. “Assumimos também neste Grito a tarefa de defender direitos já garantidos e enfrentar os desmandos políticos do atual governo, como é o caso da Reforma da Previdência, em via de ser aprovada, mas sob repúdio dos trabalhadores rurais, pois vai afetar metade dos agricultores em todo o País; deixando-os fora da seguridade social. E, aqui em Rondônia a economia ficará gravemente afeta se esta reforma for aprovada”, esclareceu Fábio. Acompanhou o encontro o deputado estadual Lazinho da Fetagro (PT), reafirmando aos presentes a força e relevância do Grito da Terra, “que é a maior ação de massa da categoria em busca de políticas públicas para a dignidade no campo”. Também prestigiou o ato o secretário de estado da Agricultura, Evandro Padovani, o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT-RO), Nereu Klosinski, acompanhado da vice-presidenta Elzilene Nascimento e do secretário de finanças José Cícero, e o assessor executivo da Unicafes Rondônia, Carlos Lima.

Terceira Idade rural realiza encontro estadual
14/08/2017

Terceira Idade rural realiza encontro estadual

Reavivar a história de lutas e conquistas do MSTTR por meio do protagonismo dos trabalhadores e trabalhadoras rurais da terceira idade e idosos (as) e firmar a continuidade da luta por garantia de direitos já conquistados a estas pessoas. Essa é a ênfase do Encontro Estadual da Terceira Idade, que será realizado de 22 a 23 de agosto, no Hotel Fazenda Minuano, Presidente Médici. Promovido pela FETAGRO, por meio da Secretaria de Políticas Sociais, o encontro reunirá cerca de 100 participantes, ligados aos Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais, em todas as regiões do Estado, para momentos de reflexão, debate, troca de experiências e confraternização. De acordo com o secretário de Políticas Sociais, Ecimar Viana, o encontro tem o compromisso de ampliar as discussões sobre sucessão rural e a sucessão sindical, considerando o âmbito político e econômico. O dirigente coloca as perguntas “O que a terceira idade fará para combater o retrocesso de retirada de direitos frente ao governo” e “Qual a projeto político precisamos construir para o futuro político?” como norteadoras para as discussões e deliberações à Federação e aos Sindicatos para a efetivação de ações político-sindicais. Estas atividades devem ocorrer no primeiro dia. Mas o encontro também objetiva proporcionar aos nossos mais velhos militantes, momentos de lazer e confraternização com atividades físicas, realização de oficinas práticas, troca de sementes, banho de piscina, rodas de conversa e bailão. Ecimar Viana ressalta que “a partilha de saberes e experiências com estes sujeitos do campo permitirão uma rica avaliação da trajetória do movimento sindical, uma vez que estes alicerçam o MSTTR”.

Dirigentes definem pauta e programação do Grito da Terra Estadual 2017
08/08/2017

Dirigentes definem pauta e programação do Grito da Terra Estadual 2017

Reunião realizada ontem (08), no auditório da FETAGRO, reuniu a Diretoria da entidade e presidentes e presidentas dos Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de todo o Estado para definição da pauta de proposições e reivindicações do Grito da Terra Estadual 2017 e das ações de mobilização da atividade que será realizada nos dias 5 e 6 de setembro, na capital Porto Velho, com a participação de mais de 2 mil trabalhadores e trabalhadoras rurais na agricultura familiar. O Grito da Terra é a principal ação de massa da categoria em busca da garantia de políticas públicas que assegurem desenvolvimento rural com qualidade de vida e trabalho aos homens e mulheres do campo. Alessandra Lunas, vice-presidente, reforçou a importância da mobilização para a luta da classe trabalhadora rural na agricultura familiar, por seu caráter reivindicatório e propositivo, mas especialmente neste ano por assumir a tarefa de defender direitos já garantidos e enfrentar os desmandos políticos do atual governo, como é o caso da Reforma Trabalhista, já aprovada, e da Reforma da Previdência, em vias de ser aprovada, mas sob repúdio dos trabalhadores rurais e urbanos. A pauta do Grito contém propostas que expressam as principais demandas de aproximadamente 120 mil homens e mulheres do campo. O documento faz referencia a temas como regularização fundiária; organização da produção; habitação rural; educação do campo; meio ambiente, crédito fundiário, crédito rural, segurança, infraestrutura de estradas, e outros. Os dirigentes reafirmam que o Grito da Terra é instituído para servir de espaço permanente de discussão e negociação de políticas públicas para a agricultura familiar e os povos do campo com os poderes públicos estadual e federal. O presidente da Federação, Fábio Menezes, ressaltou que “essa mobilização é a data base da negociação da classe trabalhadora rural com o poder público constituído”.

Secretária registra 11 anos da Lei Maria da Penha
07/08/2017

Secretária registra 11 anos da Lei Maria da Penha

“Foi uma importante conquista. Tivemos avanços. Mas tem muito a ser feito”. A frase é da secretária de Mulheres da FETAGRO, Izabel Soares Lopes de Oliveira, ao registrar os 11 anos de implementação da Lei Maria da Penha, comemorados nesta segunda-feira, dia 7. Izabel recorda que a lei Maria da Penha, publicada em 7 de agosto de 2006, pelo então presidente Lula, é fruto da luta dos movimentos sociais e uma conquista de todas as mulheres. Destaca que com a edição da Lei, as lutas femininas de enfrentamento a violência doméstica ganharam novo enfoque, e neste sentido, se observa não ter sido fácil a aceitação desta norma pela sociedade, mas, no entanto, tem sido um importante instrumento de combate efetivo e concreto no que diz respeito a violência contra as mulheres. “A Lei Maria da Penha trouxe também como amparo e defesa às mulheres vítimas as Unidades Móveis e a Patrulha Leia Maria da Penha que contribuem com o atendimento às mulheres, por vezes chegando nos locais mais distantes, a exemplo das zonas rurais. A realidade sobre a violência contra a mulher passou a ser vista, observada e combatida”, pontuou. A secretária de mulheres também reconhece que é preciso manter as discussões sobre os avanços e retrocessos obtidos desde a implementação da Lei, gerar o amplo debate acerca das mudanças, melhorias e perspectivas sobre este instrumento de luta e defesa. “Vamos debater e continuar buscando novos meios de avançar e dar visibilidade a aplicação da lei em nosso Estado”, disse.

Festival Regional Cone Sul mobiliza jovens rurais
31/07/2017

Festival Regional Cone Sul mobiliza jovens rurais

Aproximadamente 700 jovens agricultores familiares, dos municípios de Vilhena, Chupinguaia, Cerejeiras, Pimenteiras e Corumbiara, se reuniram para um dia de interação, com oportunidades de diálogos e reflexões, mas também de diversão com as modalidades esportivas e culturais. Foi realizado o Festival Regional da Juventude Rural, no último sábado, dia 29, na chácara 3M, em Vilhena, numa iniciativa inédita dos sindicatos dos trabalhadores e trabalhadoras rurais representantes dos municípios, sob coordenação das secretarias de jovens dos Sindicatos. Nas atividades esportivas destaque para o futebol, vôlei, salto à distância e corrida de 100m. Dança, música e poesia marcaram as atividades culturais. Os campeões, nas categorias masculino e feminino, estão classificados para as disputas no 19º Festival Estadual da Juventude Rural, que acontecerá no dia 16 de setembro, no município de Rolim de Moura. Gil Fagundes, secretário de jovens da FETAGRO, prestigiou o evento e destacou que o festival regional, norteado pelo tema Juventude Vem Pra Luta e pelo lema Jovens Rurais Lutando Hoje Para Garantir o Amanhã, “foi um importante espaço de demonstração do sentimento e compreensão de luta dos jovens agricultores e agricultoras familiares pela dignidade no campo e garantia da sucessão rural, principalmente neste atual momento de desordem política econômica e social do País que afeta prejudicialmente o campo, a agricultura familiar, a classe trabalhadora rural com a desvalorização e perda de direitos”. Também prestigiaram o Festival as diretoras da FETAGRO Alessandra Lunas, vice-presidenta, e Rosiléia Inácio, secretária de formação e organização sindical. Ambas ressaltaram que “a juventude mostra mais uma vez, sua garra e protagonismo na defesa dos interesses da categoria permanecendo na luta”.

FETAGRO participa de encontro sobre PNCF com beneficiários em Pimenta Bueno
14/07/2017

FETAGRO participa de encontro sobre PNCF com beneficiários em Pimenta Bueno

A vice-presidente da FETAGRO, Alessandra Lunas, representou a Federação em encontro com mais de 200 famílias de agricultores familiares beneficiárias do Programa Nacional de Credito Fundiário (PNCF), nesta manhã, em Pimenta Bueno. O encontro, que reuniu também governo do estado, autoridades políticas do município e região e representações de órgãos e entidades sindicais e de assistência técnica que atuam pela execução do PNCF no Estado, promoveu a demarcação e distribuição das terras e novos diálogos para informações e esclarecimentos acerca do programa e etapas seguintes. Alessandra Lunas reportou os cumprimentos de toda diretoria da FETAGRO e Sindicato dos Trabalhadores...

	Nota de repúdio ao descaso com a implementação do PAA em Rondônia
14/07/2017

Nota de repúdio ao descaso com a implementação do PAA em Rondônia

Nós, agricultores e agricultores familiares, organizados em sindicatos filiados a FETAGRO - Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado de Rondônia, vimos a público manifestar nossa indignação e repúdio ao descaso que vem ocorrendo com as políticas públicas de fortalecimento da agricultura familiar, em especial com o Programa de Aquisição de Alimentos – PAA, nas compras para doação simultânea. Vale lembrar, que o PAA é reconhecido como um dos programas mais eficientes para garantir a comercialização a preço justo dos produtos da agricultura familiar privilegiando mercados no âmbito local, potencializando assim o consumo de produtos de melhor qualidade e maior...

CONTAG apresenta problemas nas definições do decreto que cria o Cadastro da Agricultura Familiar
13/07/2017

CONTAG apresenta problemas nas definições do decreto que cria o Cadastro da Agricultura Familiar

A criação do Cadastro Nacional da Agricultura Familiar é uma antiga reivindicação do Movimento Sindical dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR), para aumentar a visibilidade e formalização da agricultura familiar. Defendemos um cadastro que reúna todas as informações sobre os estabelecimentos produtivos familiares, pois trata-se de ferramenta de extrema importância para a criação de políticas públicas que atendam à diversidade regional e produtiva da agricultura familiar. No dia 31 de maio deste ano, foi assinado por Michel Temer o decreto nº 9.064/2017, que “dispõe sobre a Unidade Familiar de Produção Agrária, institui o Cadastro Nacional da Agricultura Familiar e regulamenta a Lei...

 Sindicatos recebem treinamento para emissão de DAP
11/07/2017

Sindicatos recebem treinamento para emissão de DAP

Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais receberam nesta terça-feira (11), treinamento para emissão de Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP). A atividade foi promovida pela Secretaria de Política Agrícola da FETAGRO com o propósito de capacitar os dirigentes sindicais para um melhor atendimento aos agricultores e agricultoras familiares na aquisição deste documento de reconhecimento do agricultor familiar e que permite o acesso a diversas políticas públicas. Entre os assuntos relacionados à DAP, destacou-se as informações e esclarecimentos acerca das mudanças no processo da Declaração que passou a ter vigencia de dois anos. Elessandra Dutra, secretária de política agrícola,...